Doença arterial coronariana: um tópico para revisitar

Ela continua por trás de um terço das mortes provocadas por doença cardiovascular. Como podemos melhorar esse cenário?


A doença coronariana é o dia a dia de todo cardiologista. Para lembrar sua relevância, basta pensar que os problemas do coração como um todo causam 1 mil óbitos por dia no Brasil, matando mais do que qualquer outra condição de saúde, e que pelo menos um terço deles é por doença coronariana.



"Quando olhamos para a doença isquêmica cardíaca — que é, na verdade, consequência da doença coronariana —, ela é isoladamente a principal causa de mortes em nosso país e só não foi assim no auge da pandemia da covid-19", diz José Rocha de Faria Neto que, dentro do comitê científico do WCC 2022, ajudou a montar a programação nessa área. "Esse é o cenário brasileiro. Mas, no mundo inteiro, não é muito diferente”, garante.


Por isso, mal o congresso inicia, já há o Curso de Atualização em Cardiologia, oferecido pela SBC, no qual o primeiríssimo módulo é justamente a doença coronariana ( no dia 13 de outubro, às 7h45, no auditório 7).“Vamos apontar aspectos das formas aguda e crônica, tanto do ponto de vista da prevenção quanto da investigação e do tratamento”, conta Rocha Faria Neto.


Coordenador desse curso, Pedro Farsky reforça: “Faremos uma importante revisão e atualização nas diferentes apresentações clínicas dessa patologia”. Da abordagem da aterosclerose aos tratamentos invasivos, tudo estará contemplado, fechando com um exercício de casos clínicos. “Nele, colocaremos toda essa teoria na vida real do cardiologista de consultório ou que atua no ambiente hospitalar”, diz Farsky.


Para uma melhor avaliação


Mas, claro, não para por aí. “Ao longo dos três dias de congresso, em diversas sessões, vamos conversar sobre o estadiamento da doença arterial coronariana crônica”, exemplifica, relembrando que, entre os cardiologistas, há uma discussão muito grande se essa avaliação deve ser por métodos funcionais, que focam na isquemia, ou por métodos anatômicos. Vale destacar a mesa-redonda Manejo atual da doença arterial coronariana crônica ( dia 13 de outubro, às 17h20, no auditório 11).


“E, dentro dos exames funcionais, há ainda atividades apontando as diferenças entre o teste ergométrico, a cintilografia, a ecocardiografia e a ressonância magnética. Elas serão muito úteis para aprimorar a nossa prática”, diz Rocha Faria Neto.



A valorização do tratamento clínico


Será que o cardiologista precisa levar o paciente com doença coronariana estável direto à sala de hemodinâmica para colocar um stent ou isso, às vezes, pode ser precipitado? Segundo Rocha Faria Neto, esse questionamento também será muito presente na programação.


“Existe uma razão para isso: o estudo SCHEMIA mostrou que o terapêutica otimizada pode ser a escolha mesmo quando o indivíduo apresenta isquemia, ou seja, há um reconhecimento da importância do tratamento clínico nesses casos”, diz ele.



Por dentro das novas diretrizes


No segundo dia de congresso (precisamente no dia 14 de outubro, às 9 horas, no auditório 1), haverá uma atividade focando as recentes diretrizes de síndrome coronariana aguda sem supradesnível do segmento ST, coordenada por Ari Timerman.


“Nessas diretrizes, concluídas no final de 2021 e lançadas neste ano, há novidades que todos precisam conhecer, especialmente no que diz respeito à avaliação inicial do paciente na sala de emergência, a algumas condutas durante a hospitalização e às recomendações na alta”, informa Rocha Faria Neto.


Uma visão panorâmica dos grandes congressos


Por fim, no último dia do WCC 2022, há uma mesa reunindo todas as novidades apresentadas sobre doença coronariana nos grandes congressos realizados até outubro deste ano, como o do American College of Cardiology e o da European Society of Cardiology.


“Para quem não conseguiu estar em um deles, é a oportunidade de ficar por dentro de tudo e estar alinhado com o que existe de mais quente na cardiologia mundial”, diz Rocha Faria Neto.

Então, para fechar com chave de ouro, anote a seguinte sessão: Os principais pontos da cardiologia abordados mundialmente nos congressos de 2022 (15 outubro, às 12 horas, no auditório 12).

Não perca a chance de participar do WCC 2022, no Centro de Convenções Riocentro, no Rio de Janeiro, entre os dias 13 e 15 de outubro.