Late-Breaking Clinical Trials: conheça os estudos selecionados para o 77º CBC

Tradição nos congressos internacionais, a categoria é novidade no CBC 2022


Estudos randomizados apresentados nos Late-Breaking Clinical Trials estreiam no Congresso Brasileiro de Cardiologia (CBC) em sua 77ª edição em 2022. Neste ano, o evento nacional acontece concomitantemente ao World Congress of Cardiology (WCC) dos dias 13 a 15 de outubro no Rio de Janeiro. A categoria é uma das mais assistidas no European Society of Cardiology Congress (ESC) e no CBC 2022 quatro apresentações foram selecionadas. Os trabalhos podem ser conferidos no Auditório 14 em 14 de outubro, às 15h10, segundo dia de congresso.



Andrei Carvalho Sposito, coordenador da Comissão de Avaliação e Implementação da Inteligência Artificial na Cardiologia da SBC, acredita que a inclusão da categoria no Congresso Brasileiro de Cardiologia, sob a chancela da World Heart Federation, é um passo importante para colocar o Brasil no cenário dos palcos de apresentação desses estudos que que mudam a prática. O cardiologista apresenta o estudo Evolocumab on top of empagliflozin improves endothelial function of individuals with diabetes: Randomized Active-Controlled Trial se pautou no uso de inibidores da PCSK9 em pacientes com diabetes controlada. O médico afirma que "Os resultados são promissores, e há espaço para a melhora clínica por meio desse tratamento que promove a redução do LDL em maior intensidade", afirma Sposito.

Weimar Sebba Barroso, membro do Conselho Administrativo da SBC, considera que a incorporação da categoria é importante. "Essa vitrine do CBC, e neste ano, do Mundial, permite abrir portas para que pesquisadores possam apresentar os resultados de ensaios clínicos, o que tende a fortalecer a pesquisa clínica no nosso país”, diz Barrso. O médico apresenta o trial Pharmacological treatment of hypertension guided by peripheral or central blood pressure: a comparison of the incidence of intermediate outcomes between the two strategies. O estudo testa a hipótese de se guiar o tratamento da doença hipertensiva por parâmetros de medida de pressão central e de análise de rigidez arterial ao invés de se guiar pelos parâmetros tradicionais.

Renato Lopes, cardiologista e professor titular da Divisão de Cardiologia da Duke University (EUA), afirma que a inclusão dos Late-Breaking Clinical Trials representa a maturidade e o alto rigor científico do CBC. “A SBC incluir a categoria é positivo em múltiplos níveis, inclusive para facilitar e estimular a presença de investigadores, pesquisadores e médicos do mundo inteiro no evento”, afirma o cardiologista. Lopes apresenta o estudo Rivaroxaban versus Warfarin for patients with bioprosthetic valves according to CHA₂DS₂-VASc and HAS-BLED Scores: a pre-specified analysis from the randomized RIVER trial, subanálise do estudo RIVER que avaliou pacientes com fibrilação atrial e prótese biológica em posição mitral. A apresentação contém informações inéditas em relação ao efeito do tratamento de anticoagulantes nesta população de acordo com o risco de AVC e de sangramento caracterizados por diferentes escores.

Taina Teixeira Viana, cardiologista integrante da Clínica AMAD de Salvador – Bahia, considera que a inclusão da categoria no CBC confere maior relevância para o evento nacional. "Os Late-Breaking Clinical Trials mostram o quanto estamos atualizados em nossas produções, com o Brasil despontando como vanguarda na evidência científica”, diz ela. Taina apresenta o estudo Allopurinol versus Trimetazidine as a third drug for the treatment of angina: Randomized Clinical Trial que percebeu o alopurinol é uma opção para ser utilizada em controle dos sintomas do paciente com doença coronária. A medicação consegue ter redução de desfecho de controle de sintomas de angina com menor custo, ainda que com efeitos um pouco menores do que a trimetazidina.